Início Brasil Casal é preso suspeito de matar afilhada grávida para ganhar R$ 260...

Casal é preso suspeito de matar afilhada grávida para ganhar R$ 260 mil

Atyla Arruda Barbosa, 20 anos, morreu na praia de Mongaguá, no litoral de São Paulo

Atyla Arruda Barbosa, 20 anos, foi encontrada morta em uma praia no litoral de São Paulo (Foto: Reprodução)

Um homem de 47 anos e uma mulher de 41 foram presos preventivamente por suspeita de terem matado a afilhada, Atyla Arruda Barbosa, 20 anos, para receber R$ 260 mil de seguro de vida. A jovem encontrada morta em uma praia em Mongaguá, no litoral de São Paulo, estava grávida, segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML). Segundo informações publicadas pelo G1, o autor do crime afirma ser o pai do bebê.

Atyla foi encontrada com sinais de afogamento e, na última sexta-feira (17), a polícia cumpriu o mandado de prisão preventiva dos padrinhos, que não tiveram os nomes divulgados. Ambos foram presos na casa em que moravam, na cidade vizinha, em Itanhaém. No local, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), foram achados vários documentos, livros e um punhal. A polícia descobriu que o casal era patrão de Atyla, sendo a mulher a única beneficiária do seguro de vida da vítima.

Durante depoimento, o homem preso afirmou que era padrinho da vítima e que teve relações sexuais com a garota, admtindo ser o pai do bebê que, segundo o laudo emitido pelo IML, tinha aproximadamente três meses. Ainda segundo a polícia, o homem alegou que a esposa não poderia ter filhos e que Atyla aceitou engravidar para dar a criança ao casal. A vítima morava fora do Estado e foi convidada para trabalhar na casa dos suspeitos em busca de novas oportunidades.

Apesar disso, a polícia afirmou que o casal não foi conclusivo quando questionado sobre a existência do seguro de vida de Atyla. O documento tinha valor estimado de R$ 260 mil na hipótese de morte acidental e esta seria a razão, segundo os investigadores, para os suspeitos terem simulado um afogamento. A jovem foi levada pelos dois à praia e morta em meio a um nevoeiro, de acordo com informações da Polícia Civil. O corpo de Atyla foi achado por equipes do Corpo de Bombeiros, em julho, e encaminhado ao IML. *Por Correio da Bahia