Início Camaçari Casa em Camaçari estava sendo usada como desmanche por quadrilha, segundo SSP

Casa em Camaçari estava sendo usada como desmanche por quadrilha, segundo SSP

Dupla morta estava em carro roubado; moradores aplaudiram ação de PMs

Perseguição, tiroteio e mortes marcaram a noite de terça-feira (20) no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. Dois homens morreram, por volta das 21h, em confronto com equipes das Rondas Especiais (Rondesp) da Polícia Militar na Rua Novo Triunfo – transversal da Avenida Cardeal da Silva, na altura do Rio Vermelho. Na manhã desta quarta-feira (21), ainda é possível ver os rastros de sangue na rua onde aconteceu o confronto.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) da Bahia informou que a perseguição aos suspeitos começou na Avenida Paralela, quando os militares desconfiaram de homens que estavam em dois veículos modelos HB20 e Corsa. Quando foi dada a voz de prisão, segundo a SSP, um dos carros seguiu sentido Avenida ACM e o outro BR-324. As viaturas se separaram e perseguiram os automóveis.

O Corsa foi interceptado, próximo da Avenida Cardeal da Silva. “Dois criminosos conhecidos pelos apelidos de Sid Grandão e Buiú não obedeceram a voz de prisão e no confronto acabaram acertados. Foram socorridos, mas não resistiram. Com eles, os PM encontraram duas pistolas calibres 9mm (uso restrito)”, destacou a SSP, em nota. Um dos suspeitos foi identificado no Hospital Geral do Estado, para onde foram levados, como Sidney Ferreira Boa Morte, 29 anos.

Dupla que estava no Corsa foi morta em confronto
Foto: Divulgação/SSP

Já a equipe de PMs que seguiu atrás do HB20 achou o automóvel, abandonado, na localidade de Lama Preta, município de Camaçari, em frente a um imóvel. No quintal da casa foram encontrados dois carros dos modelos Toro e Gol. “Importante flagrante pela descoberta desse local de desmanche e também pela retirada de circulação das armas”, afirmou o comandante do Policiamento na Região Integrada de Segurança Pública (Risp) Atlântico, coronel Francisco Kerjean Lopes.

SSP

“Eu fiquei sem saber se entrava na garagem ou se saía correndo. Foi aquela situação que você não sabe muito bem o que fazer, mas sente muito medo. Os tiros pareciam não ter fim”, contou Clayton, acrescentando que os policiais foram aplaudidos por moradores.”

“Eu fiquei sem saber se entrava na garagem ou se saía correndo. Foi aquela situação que você não sabe muito bem o que fazer, mas sente muito medo. Os tiros pareciam não ter fim”, contou Clayton, acrescentando que os policiais foram aplaudidos por moradores. *Por Correio da Bahia