Início Brasil Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento

Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento

Comunidades foram evacuadas no início da manhã deste domingo (27), após aviso de sirenes

Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento 1

Menos de 24 horas depois da tragédia na Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, nos arredores de Belo Horizonte (MG), a companhia Vale voltou a acionar as sirenes de alerta. Elas foram acionadas por volta das 5h30 da manhã de hoje (27). Os moradores que estavam na área foram retirados do local.

Em comunicado, a Vale informou que foi detectado aumento dos níveis da água na região. “A Vale informa que, por volta das 5h30 deste domingo, acionou as sirenes de alerta na região da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), ao detectar aumento dos níveis de água nos instrumentos que monitoram a barragem VI.”

Brumadinho tem risco iminente de novo rompimento 2

De acordo com a empresa, a barragem faz parte do complexo de Brumadinho. As autoridades foram avisadas e os moradores retirados do local. “Como medida preventiva, a comunidade da região está sendo deslocada para os pontos de encontro determinados previamente pelo Plano de Emergência”.

Os bombeiros informaram que deverão ser evacuadas 350 pessoas. As famílias serão levadas para a parte mais alta do núcleo urbano ou deslocadas para outras localidades na região de Brumadinho.A evacuação será feita em áreas de risco, próximas ao leito do rio Paraopeba e às áreas já atingidas por lama. As comunidades Tejuco e Córrego do Feijão serão evacuadas.

Os trabalhos de resgate estão suspensos. Todo o efetivo do Corpo de Bombeiros está empenhado na evacuação. Uma das áreas prioritárias é Parque da Cachoeira, onde há 25 casas em risco. Foi registrada a morte de 34 pessoas, segundo os Bombeiros, com oito identificados até a noite deste sábado (26). Ao menos 256 continuavam desaparecidos, ainda de acordo com a corporação. Foram resgatadas 192 pessoas, das quais 23 estão hospitalizadas.

A Vale disse que o monitoramento da região será mantido. “A Vale continuará monitorando a situação, juntamente com a Defesa Civil. Novas informações a qualquer momento.”