Início Brasil Bolsonaro promulga fundão eleitoral de R$ 5,7 bilhões

Bolsonaro promulga fundão eleitoral de R$ 5,7 bilhões

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

O presidente Jair Bolsonaro promulgou o texto que prevê um fundo eleitoral de 2022 no valor de R$ 5,7 bilhões. O trecho da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), que havia sido vetado, está publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira (21).

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

A promulgação da Lei nº 14.194 é resultado da derrubada do veto de Bolsonaro por deputados e senadores na última sexta-feira (17), em sessão do Congresso Nacional.

O valor final do fundo eleitoral ainda será definido na Lei Orçamentária Anual (PLN 19/2021), que está em discussão na Comissão Mista de Orçamento (CMO) nesta terça e ainda precisa passar por decisão do Congresso. No relatório apresentado à CMO nesta segunda-feira (20), o valor previsto para o fundo é de R$ 5,1 bilhões.

Esse é um tema controverso entre os parlamentares. Ontem, a reunião programada para acontecer na CMO para discutir o relatório final do Orçamento 2022 foi adiada por falta de consenso, principalmente, sobre valores destinados e ao fundo eleitoral à Educação.

“Os assuntos a serem debatidos são, principalmente, a Educação, pois a proposta é voltar aos padrões de investimento de 2019; e fundo eleitoral – não há consenso ainda, pois boa parte da comissão quer reduzir o número colocado”, comentou a presidente da CMO, senadora Rose de Freitas (MDB).

O deputado Hugo Leal (PSD), relator da proposta, sugeriu recompor em R$ 3 bilhões o fundão eleitoral. Inicialmente, o valor aprovado pelo Congresso era de R$ 5,7 bilhões, mas foi vetado pelo presidente Jair Bolsonaro. O montante é mais que o dobro do utilizado nas eleições de 2018, cerca de R$ 2 bilhões.

com informações do R7