Início Salvador Avós baianos são presos nos EUA acusados de sequestrarem neto; entenda

Avós baianos são presos nos EUA acusados de sequestrarem neto; entenda

Pai da criança teria entrado na justiça para conseguir a guarda do filho que está com a mãe no Brasil

Norte-americano entrou na justiça dos EUA para pedir a guarda do filho que está no Brasil com a mãe (Foto: Arquivo Pessoal)

Por iBahia

O caso do casal baiano, preso nos Estados Unidos da América desde fevereiro deste ano acusados de sequestrarem o neto, ganhou repercussão nas redes sociais. Carlos Otávio Guimarães e Jemima Guimarães, avós de uma criança de oito anos, filho da brasileira Marcelle Guimarães, foram a júri popular no Texas e acabaram condenados à prisão sob crime de sequestro.

Segundo relatos de familiares e amigos, Marcelle mantinha um relacionamento com um norte-americano, pai da criança, e teria fugido do país com o filho após sofrer violência doméstica. No Brasil, onde ficou hospedada na casa dos pais, conseguiu a guarda da criança na justiça. Porém, no mesmo período, o ex-marido entrou com um processo através das autoridades americanas para o mesmo fim.

Ao viajarem para os EUA para visitar um outro filho que reside no país, o casal de avós foi preso, acuados de serem cúmplices de um sequestro, assim que chegou no aeroporto Miami.

E o que diz a justiça americana?
De acordo com judiciário americano, que desde o início estava divulgando o caso em favor do pai da criança, a ida de Marcelle com o filho com o Brasil se configura como sequestro em domicílio, pois não houve anuência do pai para a mudança. Como ela ficou hospedada na casa dos pais, os avós foram acusados de serem cúmplices do suposto crime.

Neste caso, a decisão da justiça brasileira não foi considerada pois, de acordo com o Tratado de Haia, a guarda precisava ser definida no país do último domicílio dos pais da criança que, no caso, é o EUA.

Repercussão nas redes sociais
Um grupo de familiares e amigos dos avós e de Marcelle, contrários à decisão da justiça americana, criaram um grupo de apoio no Facebook para tentar auxiliar o casal que, até este momento, não foi autorizado a conversar com a filha.

Nos comentários do grupo, diversos internautas defendem Carlos e Jemina e relatam que eles são pessoas maravilhosas. “A filha deles era casada com um americano, que batia nela. Ele chegou a empurrar ela escada abaixo quando ela estava grávida. Ela veio de férias para o Brasil com o filho e não voltou. O processo de guarda tramitou no Brasil, e ela tem a guarda oficial da criança, nos termos da lei brasileira. O pai tem direito a visitação”, escreveu. “Em uma viagem aos Estados Unidos para visitar o outro filho que mora em Houston, Carlos e Gemima foram presos no aeroporto de Miami como cúmplices de sequestro, uma vez que a filha e o neto residem no Brasil no apartamento deles”, escreveu um membro.

Após o caso ganhar repercussão nas redes sociais, a polícia americana entrou em contato com as autoridades brasileiras para ouvir outras testemunhas.