Início Saúde Após novas variantes, Pfizer e Moderna aumentam preço de vacinas em contrato...

Após novas variantes, Pfizer e Moderna aumentam preço de vacinas em contrato com União Europeia

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

A Pfizer e a Moderna aumentaram os preços de suas vacinas contra a Covid-19 nos últimos contratos de fornecimento para a União Europeia. A informação foi divulgada neste domingo (1/8) pelo jornal Financial Times.

De acordo com a publicação, que teve acesso ao contrato, o preço da vacina da Pfizer aumentou de 15,50 euros (18,39 dólares) para 19,50 euros (23,14 dólares) a unidade e a da Moderna, de 19 (22,50 dólares) para 21,50 euros (25,50 dólares).

O aumento ocorreu justamente em um momento que a Europa teme a variante Delta, contra a qual as vacinas das americanas Pfizer e Moderna, segundo os primeiros estudos, são eficazes para evitar formas graves da doença.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

“Tem que olhar tudo isso com racionalidade, com contratos mais exigentes, produtos adaptados às variantes. Não apenas para a União Europeia, mas para todos os compradores as vacinas serão um pouco mais caras”, declarou o secretário de Estado francês para Assuntos Europeus, Clément Beaune.

“Eles estão fazendo adaptações para as variantes, como se pede nos contratos que estão sendo negociados. Também pedimos que a maior parte da produção, quase 300 componentes da vacina, seja produzida na Europa”, acrescentou.

Em maio, a UE fechou um novo contrato com a Pfizer/BioNTech para adquirir 1,8 bilhão de doses do imunizante contra a Covid-19 até 2023, mas não informou o preço das unidades.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou em julho que foi alcançado o objetivo de adquirir doses suficientes para imunizar 70% dos europeus adultos, o que corresponde a 336 milhões de pessoas. Em maio, o bloco afirmou que esperava receber mais de um bilhão de doses até o fim de setembro.

Com informações do Aratu ON