Início Brasil Apontada como uma das líderes do CV, traficante Hello Kitty é morta...

Apontada como uma das líderes do CV, traficante Hello Kitty é morta no Rio

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE

Dois dos criminosos mais procurados do Rio de Janeiro foram mortos nesta sexta-feira (16) durante uma ação policial no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Foram mortos Alessandro Vieira Moura, o Vinte Anos, Rayane Nazareth Cardozo da Silveira, conhecida como Hello Kitty, e outros dois suspeitos não identificados.

Hello Kitty e Vinte Anos são apontados pela polícia como os principais nomes da maior facção do Rio, o Comando Vermelho, na área de São Gonçalo. Vinte Anos era o chefe do tráfico e Hello Kitty era considerada o braço direito dele.

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

A polícia recebeu a informação de que o grupo mantinha uma família refém. Ao chegar lá, houve troca de tiros, dizem os policiais. Os quatro suspeitos foram baleados e não resistiram. Com eles, foram apreendidos dois fuzis e duas pistolas. Durante a ação, a polícia cercou o entorno da principal avenida de acesso ao Complexo do Salgueiro, para evitar fuga.

Rayane e Alessandro eram considerados foragidos, com oferta de R$ 1 mil por informações que levassem aos dois.

Rayane Nazareth Cardoso Silveira nasceu em dezembro de 1999. Ela costumava frequentar cultos evangélicos enquanto crescia, mas desde 2018 passou a ser identificada como suspeita de roubos na região de São Gonçalo. Depois, começou a se envolver com o tráfico. Ela costumava postar fotos nas redes sociais ostentando armas de grosso calibre.

A polícia vai continuar atuando na região para evitar retaliações. “Os dois criminosos foram mortos, duas lideranças muito importantes da região, atuavam em outras áreas, causavam terror. Eles gostavam de ostentar armas, fuzis, nas redes sociais, então foi uma ação de impacto. A Polícia Militar atua na região para evitar ações retaliatórias como manifestações e confrontos”, disse ao Uol o major Ivan Blaz.

Com informações do Correio da Bahia