Início Brasil Animais, as vítimas não contabilizadas do desastre de Brumadinho

Animais, as vítimas não contabilizadas do desastre de Brumadinho

Rompimento de barragem da Vale deixou rastro de destruição e mortes humanas, mas também vitimou fauna e flora local, além de animais domésticos. O trabalho dos voluntários que tentam resgatar os animais é coordenado pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária, procurado por mais de 1.000 pessoas que querem ajudar.

Bombeiro resgata passarinhos e um cachorro encontrados em uma casa vazia, afetada pela lama que destruiu Brumadinho. Animais são as vítimas não contabilizadas do desastre causado pelo rompimento da barragem da Mina Feijão, que matou 60 pessoas e deixou ao menos 292 desaparecidos. Número de vítimas não para de subir. MAURO PIMENTEL AFP
Um cachorro foi deixado pra trás em uma casa em Brumadinho, e foi encontrado dois dias após a tragédia. Veterinários estão organizando um mutirão para resgatar os animais. LEO CORREA AP
O bombeiro Leoncio Valverdes resgatou o cachorrinho que passou dois amarrado aguardando resgate em uma casa atingida pela lama em Brumadinho. LEO CORREA AP
Um cachorro perdido na comunidade de Parque da Cachoeira, a mais afetada pelo rompimento da barragem da Vale, que causou ao menos 60 mortes. Danos ambientais ainda são incalculáveis, mas no fim de semana o presidente da Vale, Fabio Schvartsman, disse que a tragédia Mariana foi mais letal para o meio ambiente, enquanto a de Brumadinho é um desastre mais “humano”. MAURO PIMENTEL AFP
Um bombeiro caminha com um cachorro na região atingida pelo mar de lama que devastou Brumadinho. Desde o domingo, 27 de janeiro, veterinários voluntários trabalham para a retirada de animais das casas afetadas pela tragédia com a barragem da Vale. MAURO PIMENTEL AFP
Além dos animais silvestres que viviam na região, muitos animais domésticos e de fazenda foram soterrados pela lama que destruiu a área rural de Brumadinho. O Conselho Regional de Medicina Veterinária disse que recebeu cerca de 1.000 contatos de médicos veterinários e de zootecnistas de todo o país disponibilizando-se para realizar trabalho voluntário na região. PEDRO VILELA GETTY IMAGES
O trabalho dos voluntários que tentam resgatar os animais está sendo coordenado pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária, que alerta para os riscos na região e atualiza em suas redes a necessidade de ajuda no momento PEDRO VILELA GETTY IMAGES
Um bombeiro tenta socorrer uma vaca atolada na lama que devastou parte de Brumadinho. Os animais resgatados estão sendo levados a um posto de Brumadinho e, de lá, são levados a uma fazenda da Vale, segundo reportagem do jornal ‘O Estado de Minas’. MAURO PIMENTEL AFP
Uma galinha soterrada pela lama é resgatada com vida. Ministério Público Estadual de Minas Gerais recomendou à mineradora Vale que elaborasse um plano emergencial de localização, resgate e cuidado dos animais atingidos. ADRIANO MACHADO REUTERS
Homem resgata um passarinho que estava preso na lama em Brumadinho. WASHINGTON ALVES REUTERS
Bombeiros resgatam um cachorro após a catástrofe causada pelo rompimento da barragem da Mina Feijão, da Vale, em Brumadinho. Impacto ambiental ainda é incalculável. Desastre deixou ao menos 60 pessoas mortas, além de 292 desaparecidos. Lama chegou ao rio Paraopeba. ANTONIO LACERDA EFE
Bombeiros tentam resgatar vaca atolada na lama de rejeitos em Brumadinho. Muitos animais tiveram foram sacrificados pelas autoridades que, sob críticas, disse que ato foi por “eutanásia”, para poupar bichos que não poderiam ser salvos. WASHINGTON ALVES REUTERS
Peixe morto na lama dois dias depois do colapso da barragem. LEO CORREA AP
Bombeiro dá água para um cachorro cheio de lama em Brumadinho nesta quarta-feira, 30 de janeiro. Cães farejadores estão ajudando nas buscas por vítimas. ADRIANO MACHADO REUTERS