Início Chapada Diamantina Acesso difícil prejudica combate a fogo na Chapada Diamantina; veja vídeo

Acesso difícil prejudica combate a fogo na Chapada Diamantina; veja vídeo

Incêndio de grandes proporções atinge área de 900 hectares em Rio de Contas

Acesso difícil prejudica combate a fogo na Chapada Diamantina; veja vídeo 1
Foto: Divulgação/Prefeitura de Rio de Contas

Homens do Corpo de Bombeiros e brigadistas estão com dificuldades de combater o incêndio que há quatro dias atinge o Parque Municipal Natural da Serra das Almas (4.375 hectares), em Rio de Contas, na região da Chapada Diamantina, na Bahia.

Nesta sexta-feira (1), a área atingida pelas chamas evoluiu para 900 hectares, segundo informações da Prefeitura de Rio de Contas, que também auxilia no combate ao fogo por meio de brigadistas voluntários ligados à Secretaria de Meio Ambiente.

A dificuldade se dá por conta das áreas de difícil acesso, sobretudo na região conhecida como Buraco da Velha, uma área de serras. Nem com o helicóptero do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer) se consegue combater as chamas.

“A avaliação geral é que temos de esperar o fogo baixar nessa área para depois fazer alguma coisa”, disse a coordenadora de Meio Ambiente da Prefeitura de Rio de Contas, Dilceléia Anjos Santos.

Segundo ela, nem os quatro aviões Air Tractor enviados pelo Governo da Bahia para auxiliar no combate às chamas estão sendo suficientes. “Estamos vendo que a eficácia deles está sendo pequena e o fogo continua a avançar”, declarou.

Nesta sexta, foi notado o avanço de dois grandes focos de incêndio, um mais ao lado da cidade de Livramento de Nossa Senhora, vizinha a Rio de Contas, e outro mais para o lado da Serra das Almas, que já tinha sido controlado, mas acabou retornando.

“Estamos fazendo o máximo que podemos para conter as chamas, o apoio que estamos recebendo do Governo da Bahia está sendo muito bom também, a questão é que o fogo é difícil mesmo de controlar, sobretudo por conta do difícil acesso”, disse.

Em Rio de Contas, o fogo ocorre a uma distância de entre 15 a 20 km da cidade, por isso a fumaça ainda não incomoda os moradores. “Mas as imagens do fogo na serra dá para ver e isso deixa todo mundo perplexo”, comentou Dilceléia.

Dentre as áreas atingidas pelas chamas, estão locais de acesso a pontos turísticos, como o Pico das Almas, que tem 1.800 metros de altitude (o terceiro maior do Nordeste), e reservas particulares do patrimônio natural, as RPPNs – a mais atingida foi a RPPN da nascente do Rio do Junco. O fogo está a 3 km do Pico das Almas.

Oito nascentes e uma parte da RPPN Sítio Volta do Rio, local de soltura de animais silvestres que são recuperados após serem apreendidos, foram atingidos pelas chamas, mas ainda não houve o registro de animais mortos.

As chamas estão sendo combatidas por 21 bombeiros especialistas no combate a incêndios florestais, 11 brigadistas e três militares do (Graer), segundo informações da Secretaria de Meio Ambiente da Bahia (Sema).

Os bombeiros e brigadistas contam com o suporte técnico, operacional e logístico do Programa Bahia Sem Fogo, ligado à Sema e que empregou quatro aeronaves do tipo Air Tractor, com o lançamento direto de água sobre o fogo.

Também foram disponibilizados cinco veículos terrestres e um helicóptero do Graer, que atua no deslocamento das tropas para áreas de difícil acesso.

Outra área de combate a incêndio na Chapada Diamantina é na região do Pico do Barbado, em Abaíra, para onde foram encaminhados oito brigadistas e dois bombeiros para atuação e avaliação e monitoramento de áreas já combatidas.

As gestões municipais de Rio de Contas e Abaíra também dão suporte ao trabalho das equipes. Neste sábado (2), o secretário estadual do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira fará um sobrevoo por toda área atingida e depois se reunirá com as equipes de combate para planejar novas ações de controle dos incêndios.

Com informações do Correio da Bahia