Início Mundo 44 pessoas morrem de intoxicação alcoólica por acreditarem que bebida cura coronavírus

44 pessoas morrem de intoxicação alcoólica por acreditarem que bebida cura coronavírus

Grupo no telegram: t.me/seligacamacari | Site de vagas em Camaçari: ACESSE
foto: Divulgação/Governo do Brasil

Pelo menos 44 pessoas morreram intoxicadas, depois de beberem álcool adulterado no Irã, em consequência de um boato, segundo o qual bebidas alcoólicas ajudariam a curar o novo coronavírus – informou a agência oficial de notícias Irna, em balanço divulgado nesta terça-feira (10).

ATENÇÃO: Nunca pague nenhum valor para participar de um processo seletivo. Não compre cursos, apostilas ou serviços que prometam participação em seleção ou contratação para uma vaga. E jamais informe dados bancários, de cartão ou envie documentos por e-mail ou através de sites que não conheça. Nosso site não se responsabiliza por qualquer tipo de pagamento efetuado.

Com um total oficial de 291 mortos, o Irã é um dos principais países afetados pela Covid-19, atrás de China e Itália. Na República Islâmica, onde o consumo e a venda de álcool são proibidos, os meios de comunicação locais informam periodicamente intoxicações mortais com álcool contrabandeado.

Segundo a Irna, com 36 óbitos, a província do Juzestão (sudoeste) é a região com o maior número de mortes por estas intoxicações. Este número equivale ao dobro de vítimas pelo novo coronavírus na mesma província (18), acrescentou a mesma fonte.

As demais pessoas mortas após o consumo adulterado são das províncias de Alborz (com sete mortos), perto de Teerã, e de Kermanshah (oeste). Na segunda-feira, citando um funcionário do hospital local, a Irna acrescentou que 218 pessoas haviam sido hospitalizadas pela intoxicação em Ahvaz, a capital do Juzestão.

Por Correio Braziliense