Início Salvador Ônibus metropolitano tem tarifa reajustada em 2,7%

Ônibus metropolitano tem tarifa reajustada em 2,7%

Por Jornal A tarde

A passagem dos ônibus que rodam na Região Metropolitana foi reajustada (Foto: Alessandra Lori l Ag. A TARDE)

Depois do aumento na passagens dos ônibus urbanos da capital baiana, que também puxou para cima o valor do metrô, ambos para R$ 3,70, o reajuste de 2,7% para os coletivos metropolitanos foi publicado nesta quarta-feira, 3, no Diário Oficial do Estado.

Ao todo, 84 linhas que circulam nas cidades da Grande Salvador (Camaçari, Lauro de Freitas, Simões Filho, Dias D’Ávila, Candeias, Madre de Deus, São Sebastião do Passé e Mata de São João) tiveram um acréscimo de R$ 0,10 no valor da passagem.

O percentual estabelecido pela Agência Estadual de Regulação (Agerba) para o transporte metropolitano é o mesmo aplicado pela prefeitura de Salvador para os ônibus urbanos, assim como o estabelecido pelo governo do Estado para o metrô da capital baiana.

Algumas linhas chegam a chamar atenção pelo valor de R$ 3,20 para o deslocamento entre cidades como Camaçari e Dias D’Ávila. Já outras se destacam com o preço de R$ 7,40 para sair de São Sebastião do Passé rumo a Salvador, por exemplo.

Apesar dos valores diferenciados, a Casa Civil do Estado informa que a integração tarifária para o passageiro metropolitano continua em vigor. Dessa forma, os usuários seguem pagando tarifa única para acessar ônibus metropolitano-metrô-ônibus urbano.

Moradora de Salvador, a estudante Jose de Jesus, de 34 anos, agora passará a pagar R$ 5,30 para deslocar-se para Arembepe (Camaçari), onde visita a avó com frequência. Mesmo com o aumento de apenas R$ 0,10, a passageira considera que o valor já não era barato antes do reajuste.

Além do preço da passagem, ela reclama do modelo de integração adotado para os usuários de transporte metropolitano, cujos coletivos não entram mais na capital. Moradora da avenida Vasco da Gama, ela passou a pegar quatro transportes até chegar ao destino final.

“A passagem já não era razoável. Piorou agora, com a integração, que me faz pegar dois ônibus e dois metrôs para chegar lá: um ônibus para a Lapa, um metrô até o Acesso Norte, outro metrô até Mussurunga e um ônibus para Arembepe. Gasto mais de uma hora. Antes, era 45 minutos”, brada.

O protético Eduardo Noronha, 51 anos, não viaja habitualmente entre as cidades da Grande Salvador, mas considera que o preço da passagem dos ônibus metropolitanos, assim como dos urbanos, não corresponde à qualidade do serviço prestado.

Para ele, critérios como organização dos itinerários das linhas, segurança e conforto não são atendidos. “Andar de ônibus é muito caro para o que o serviço oferece. Ainda mais nos metropolitanos, nos quais as janelas não abrem, nem há ar-condicionado”, observa.

“Frescões”

Além dos metropolitanos, dos ônibus urbanos convencionais, do transporte complementar e do metrô, as frotas de coletivos executivos também tiveram aumento no preço. A tarifa dos chamados “frescões” passou de R$ 3,80 para R$ 3,90 em três linhas.

As linhas especiais executivas que ligam o aeroporto ao Centro Histórico, assim que as que fazem o trajeto do Salvador Shopping para o Centro Histórico, passaram a custar R$ 5,50 frente ao valor anterior, que era de R$ 5.